GEA -Laboratório

labgea@labgea.com.br / 17 3353-3800 RUA IMPERIAL, 337, S.J.RIO PRETO/SP
DICAS E ARTIGOS
 

     

      

                 O GEA

      

     Afundamento do solo
  
     
           Cromatógrafo-               CG-MS

 

Aqui você encontra algumas dicas sobre a água que bebe diariamente, quanto deveria tomar de acordo com seu ritmo de vida.

 

Além disso, algumas informações  que consideramos importantes para a manutenção do seu sistema de abastecimento de água são apresentadas de forma bem assimilável, tais como as obrigações determinadas pela Vigilância Sanitária, pelo DAEE especialmente.

 

Curiosidades sobre análise de água em laboratório, características das águas minerais, exploração excessiva de água subterrânea em certas regiões do mundo, causando afundamento do solo estão à sua disposição. Veja o que aconteceu na cidade do México depois de dezenas de anos de bombeamento da água subterrânea.

 

Veja também como o GEA se estruturou para poder lhe oferecer serviços da melhor qualidade e confiança, atendendo a normas internacionais de procedimentos, bem como através de equipamentos de alta tecnologia e com a utilização de padrões certificados pelos mais respeitados organismos internacionais de certificação.

 

Certifique-se que o GEA é mais do que um laboratório de prestação de serviços analíticos; é um centro de pesquisas ambientais  administrado e dirigido por profissionais da mais alta competência e respeitabilidade.

 

Navegue por esta página.

 

 
 O GEA dispõe de um serviço completo de orientação ao usuário em relação a todos estas     questões.


Clamar no Deserto - 05/04/2010 - 00:00
Diário da Região

 

 

Clamar no Deserto

( Editorial publicado pelo Diário da Região na edição de 26-1-94)

 

 

            A atitude do professor Samir Barcha  denunciando o descaso com os mananciais de água consumida pela população de Rio Preto, lembra histórias  consagradas pelo anedotário popular. Por um lado, ele é a figura solitária que clama no deserto. Por outro, seria o santo de casa que não faz milagre. Nesse contexto em que se misturam enxurradas nas cabeceiras do rio Preto, conflito territoriais nos limites dos municípios de Bady Bassitt e Rio Preto e denúncias de poluição na represa que abastece nossa cidade, a voz do Prof. Barcha sobressai pelo equilíbrio e a clareza. E o que mais chama a atenção não é a gravidade das informações oferecidas pelo cientista, que há anos estuda as águas do rio Preto. O que espanta é a displicencia da autoridade responsável pelo principal item do abastecimento público numa cidade de 300 mil habitantes que polariza uma população de mais de 1 milhão de pessoas originárias de quase uma centena de municípios. A represa do rio Preto que responde por um terço da água distribuída na cidade está comprometida, em alguns pontos, por índices de coliformes fecais duas vezes acima do tolerável pelo padrão da Organização Mundial de Saude. O Professor Barcha reconhece que um bom tratamento torna a água perfeitamente potável, mas até que ponto isso será possível se na própria represa e em pontos acima, no rio Preto e no seu afluente, o Córrego do Macaco, a população joga de tudo na água, sem qualquer controle ou fiscalização?

            É certo que o problema não é de simples resolução. Para se Ter água limpa nas torneiras, é preciso educação ambiental nas cabeceiras. Cabe ao Poder Público formular um amplo projeto, uma verdadeira campanha de educação popular, conscientizando a população de que a qualidade da água  não é responsabilidade exclusiva do prefeito ou do departamento afim. Se os ribeirinhos jogam animais mortos no Córrego do Macaco, a única medida capaz de cortar o mal pela raiz é haver gente - vizinhos, funcionários públicos, policiais, técnicos em saúde pública, sanitaristas, comunicadores, professores entre outros - que convençam os ignorantes do mal feito. A falta de educação ambiental em Rio Preto pode ser medida pelo volume de lixo deixado no chão, nos finais de semana, nos arredores da famosa represa da cidade. Plástico, papel, copos e garrafas quebrados são um testemunho contundente de um comportamento extremamente desequilibrado.

            Apesar da aparente falta de viabilidade de uma campanha nesse terreno - e cabe lembrar a história do sujismundo, que "popularizou "a falta de higiene na década de 70, ganhando a simpatia popular - o Poder Público não tem alternativa senão começar por aí. Simplesmente porque é investimento mais barato. Prevenir sai mais barato do que remediar. Se em saúde pública é assim, em abastecimento de água não é diferente. O Professor Barcha prova que, senão recuperar os mananciais de Rio Preto agora, a Prefeitura terá de pagar muito mais caro, depois, para implantar um sistema de tratamento de água de alto custo. Se normalmente já é um problema prioritário em qualquer administração, o abastecimento de água em Rio Preto pode ser seguramente apontado como o maior problema municipal. A Prefeitura precisa atacá-lo tanto por questão de saúde pública como por economia.  E já.




Veja os artigos disponíveis:
06/06/2012 00:00 - Análise de Metais em Água e Efluentes
Tecnologia de ponta - Espectrometria por absorção atômica- para análises de metais poluentes em água e em efluentes.
19/04/2010 00:00 - Desinfecção da água com radiação solar
A energia radiante do sol pode ser aproveitada para despoluir a água
16/04/2010 00:00 - Laboratório de Geologia Ambiental - Uma Empresa Cidadã
O GEA mantém forte compromisso com o meio ambiente através da qualidade dos resultados de suas análises, do armazenamento ambientalmente seguro dos seus resíduos e da participação da campanha rotariana de Rio Preto Mais Verde.
15/04/2010 00:00 - GEA- Microbiologia
Meios de cultura para analise de coliformes em agua
Cromatografia gasosa aplicada à análise de água-Portaria 2914 MS
Tecnologia a serviço da qualidade
22/03/2010 00:00 - Poluição Global
As leis físicas explicam porque a poluição acaba sendo um problema de natureza global
01/10/2009 00:00 - Contaminação da água subterrânea por nitratos
A contaminação da água subterrânea por nitratos, em SJRio Preto é frequente em poços das áreas centrais da cidade
Cuidados com sua Água Mineral
Exigências da Anvisa para o transporte, armazenamento e envase de águas minerais
20/02/2009 00:00 - GEA ADQUIRE EQUIPAMENTO DE SOFISTICADA TECNOLOGIA
ANÁLISES DE ÁGUA MAIS EXATAS, MAIS CONFIÁVEIS E MAIS SEGURAS.
25/01/2009 00:00 - Cadastre seu poço na Vigilancia Sanitaria
Cadastrar seu poço semi-artesiano junto à Vigilância Sanitaria é obrigação legal a que todos estão sujeitos. O período vai de janeiro a março/10
25/08/2008 22:40 - PLANETA ÁGUA
Muito embora nosso planeta seja chamado Terra, na verdade ele é recoberto quase que inteiramente por água. Cerca de 2/3 de sua superficie representam a massa liquida. No entanto, apenas uma minúscula fração desta água está disponível ao Homem. Veja o gráfico abaixo
09/07/2008 10:45 - Qualidades da água purificada para laboratórios e farmácias
A água utilizada em laboratórios de análises e em farmácias deve ter propriedades especiais estabelecidas por normas reguladoras.
02/07/2008 18:18 - DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DA ÁGUA
PRINCIPIOS QUE CONSTITUEM A DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DA ÁGUA
27/06/2008 14:44 - NOTIFICAÇÃO DA VIGILÂNCIA SANITÁRIA
Você recebeu a visita da Vigilância Sanitária. O que fazer?
Limpeza da caixa d'água
A vigilância Sanitária determina que as caixas d´água devem ser lavadas e limpas até 12 meses.
Águas Minerais
As águas que podem ser bebidas pelo Homem não são todas iguais.
Água Purificada
Análise de água purificada para farmácia e água para hemodiálise.

Laboratório
Equipamentos
GEA -Laboratório - Rua Imperial, 337, Imperial - Fone: 17-33533800 - labgea@labgea.com.br
Direitos de conteúdo reservados à GEA -Laboratório. Design e Tecnologia Vitrine Digital